abril 23, 2007

O ábaco

A orgia tinha começado à hora marcada. Por entre os arbustos, na copa das árvores e nos pouquíssimos bancos disponíveis, os casais e demais curiosos entregavam-se uns aos outros com a gulodice habitual. Generais e majores, bispos e outros eclesiásticos, proprietários, pintores e disc-jockeys, mais os membros do clube e os electricistas entabulavam o seu mesmerismo às louras e morenas sacramentais, já que de ruivas o mercado estava sempre em falta.
As movimentações prolongaram-se no acerto e na anarquia do costume, até a sineta determinar o encerramento das hostilidades, que isto da líbido também tem horários...
Foi na contagem final que a coisa azedou:
- Pá, faltam-me dois casais...

Ao som de Brian Setzer Orchestra "Drive Like Lightning (Crash Like Thunder)"

2 comentários:

Anónimo disse...

Verdade verdadinha, faltava uma cigana e um ladrão de cavalos que era poeta. Escapuliram-se para detrás de uns arbustos, mas o desatino era tanto que rolaram pelo chão, caíram num buraco e foram ter à china.
Maria João

Anónimo disse...

A cigana tinha francas afinidades com a intrépida exploradora Alexandra David-Neel, por isso teve quase o tempo todo em cima (uma aspiração legitima) do poeta ladrão de cavalos, a verdade é que a coisa correu bem, e ela pôs os pés e o corpo no templo Potala.
:-)
Maria João