maio 31, 2007

Experimentar

Restos de noite ou partículas de sono presas aos olhos, mastigam-me a mesa, os papéis empilhados e o início de manhã em outro lado qualquer. A maçã espera-me e o duche também. Entre as apresentações, o manual, os índices, a sala por varrer e os sapatos espalhados por todo o lado, fica o momento de atravessar uma ponte com o sol ainda desmaiado lá no alto, o rio a querer ser mar, um amarelo muito claro e muito meigo em pleno afago e a canção, uma de algumas muitas. Pretende-se uma ponte que demore a atravessar. E quando abrir os olhos outra vez, que sejam todos os dias menos domingo.

Ao som de Dandy Warhols "Hells Bells"

1 comentário:

Anónimo disse...

Sabes, aqueles momentos plenos, em que nos deliciamos e não queremos que passem, que sabem a açúcar. Olha, este foi um desses, pena já o ter lido, pena não estar agora a descobri-lo pela primeira vez, pena o ter feito tão velozmente, pena não ter demorado mais em cada palavra, pena ter galgado a pontuação com ânsia de chegar ao fim, pena já ter saudades da tua escrita. Quero mais e estou com birra :-)
Maria João