fevereiro 20, 2011

Doçura à base de farinha

Metia no bolso o pacote de manteiga e seguia para o pão quente. Depois sentava-se no degrau, abria o pacote da manteiga com cuidado, passava o canivete e repassava-o no pão aberto com o miolo ainda a fumegar. Lambia os dedos e a lâmina da faca de bolso, recostava-se à porta fechada e dava a primeira dentada fechando os olhos em busca desse sabor que a vida endurecida lhe escapava. Era o tempo em que a felicidade ainda tinha momentos.

Sem comentários: