fevereiro 12, 2011

Kalashnikov de calibre com sabor a sábado

A lista de supermercado foi escrita em papel de cerimónia. A camisa, com o rasgão no sítio habitual, permitia todos os smokings possíveis. As unhas limpas, o hálito lavado, o cabelo com a onda de um corte fresco, o isqueiro e os cigarros de puta. Na mão um cd de acordo com o tempo. A tosse rouca insistente e um tom de frio no rim do lado direito. Risos na sala, sem ser de circunstância e uma nova experiência no fundo da carteira. O dia não me prometia nada. Nem eu. Somos tão honestos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Desagradavelmente honestos....


aliança

Von disse...

Honestos porque assumimos o dia com todos os seus defeitos. De ambos.