junho 17, 2013

Armários e roupa espalhada por todo o lado

Na curiosidade de ver quem se deita no chapéu do lado, antecipam-se os desejos mastigados pela manhã de areia clara e sol encoberto. Existe uma brisa que só o calor sabe. Os olhos semicerram, as ondas são apenas ondulação e o mar tem aquele aspecto denso que só o petróleo. Os dedos sulcam à procura de justificações, perigos que os amores alheios insinuam como anzóis. O incómodo está lá por inteiro, a visão de um destino sem partida também, e as ideias, atabalhoadas, respiram as ilusões próprias de um confuso estado de inquietação. A palavra adulto viaja ainda longe, da mesma forma que a imaturidade é um trunfo. A ambição só existe até fora de pé, onde cada coisa simples é a mais complicada do mundo. Uma expressão, uma só, define todo o mundo que aqui se conhece. Acho que os "amores de Verão" sabem do que falo.

1 comentário:

Anónimo disse...

sim, sabem. de mão na mão, sem pé.
ondas de entusiasmo e areia nos olhos.
parágrafos sem travessão os cabelos apanhados num raio de sol.


(e a imaturidade é mesmo um tr(I)unfo :-)