julho 23, 2013

De repente


Porventura imaginar é lição?
Brilhar ao longo de um cais
ou de um amor,
fervilhando vontades e serenidade,
provocação ou desejo,
cacto doce, esse sobressalto
onde a respiração anseia
e o nó é laço e seda.

1 comentário:

Anónimo disse...

Não sei e presumo que seja de retórica a pergunta...
...mas sei que entre a seda e o cacto doce, o amor é também enamoramento das almas sem que os corpos se t(r)oquem.