janeiro 06, 2015

Sintoma

Romper os laços olhados como cordas, esfarrapar os lenços e cobrir-me de folhas amarelas num canto desse jardim, esquecido como no dia em que deixei cair a porta e me tornei amargo e avaro, repetidor de palavras e estripador de sílabas, esquecido dos caminhos do amor, das suas paragens e das árvores que lhe prometem sombra ou abrigo, como se os beijos precisassem de albergue, frutas maduras sem gesto de colheita ou arrependimento.